Franca tem leitos de enfermaria lotados e 25 pacientes a espera de vagas

Por Tayla Vieira, Do Informe Franca

25/03/2021 | 20h

Franca vive uma situação dramática no tocante a pandemia da Covid-19.
Depois de estar com leitos de UTI lotados, agora a rede pública de saúde vê o problema se expandir para leitos de enfermaria.
Hoje, quinta-feira, Franca não tinha leitos para cobrir todos os pacientes que necessitavam de atendimento.
Foi preciso abrirem mais 6 vagas emergenciais dentro do Pronto Socorro Municipal.
Mesmo assim o dia encerra com 25 pacientes esperando na Central de Regulação, uma vaga em leito de enfermaria para serem transferidos para a Santa Casa ou outros hospitais da região.
Nem uma vaga foi liberada desde as primeiras horas da manhã, porque todo sistema está sobrecarregado.

Franca enfrenta uma situação dramática, que pode ficar muito pior se a população não se conscientizar e seguir os protocolos.
A afirmação é do Secretário de Saúde, Lucas Souza, que falou hoje dos problemas que a cidade enfrenta.
O Prefeito Alexandre Ferreira se reuniu hoje com autoridades do estado, para solicitar novos leitos para o Município atender pacientes de UTI.
Mais 10 unidades serão abertas no AME, até o dia 2 de abril.
O Prefeito vai conseguir por em operação 62 unidades a partir de então, caso a promessa se conclua.
Será a maior capacidade de leitos que Franca teve, desde o começo da pandemia.
O que mostra a realidade dos números da cidade.

A rede particular de saúde, também enfrenta dificuldades para recepcionar pacientes.
A Unimed, tem pacientes compartilhando oxigênio e 112% de leitos ocupados segundo informou seu Presidente.
O hospital que atende a rede privada pela Unimed, tem um grande aparato de profissionais lhe dando com o combate de frente a doença.
Mas todos os dias, o número de pessoas que chegam e precisam de suporte, é assustador.

O São Francisco, por política própria, não adota publicações para informar sobre como está sua capacidade de atendimento.
Mas, fontes confirmam ao Informe Franca que a unidade de saúde, também tem números expressivos de internações.
E não dispõe de muitos recursos para abrir novos leitos, diferente da Unimed, que consegue algumas manobras.
O grande vilão da rede particular em Franca é o estoque de medicamentos.
Os remédios para dor e sedação para entubação, estão em falta.