Idosa de 74 anos espera por vaga em UTI desde a quinta-feira no Paraná

Por Nathália Mello, Do Informe Franca

21/03/2021 | 6h40

Um drama.
Assim podemos descrever o que vive a família de Margarida Peroni, em Apucarana no norte do Paraná.
A idosa de 74 anos tem comorbidades, e contraiu a Covid-19 apesar de todos os cuidados sempre tomados pela família.
Apesar de ter atingido a faixa de vacinação prioritária, ela não tinha conseguido se vacinar a tempo, porque já estava infectada com a doença.
Nem se tivesse, Apucarana não tem doses de vacinas que deem para todos e não é possível saber ques critérios estão usados nessa distribuição.
Mas pior que não ter a vacina é o que aconteceu a seguir.

Margarida Peroni, não conseguiu uma vaga para ser hospitalizada na cidade em que mora com sua família.
Os familiares tentam conseguir uma transferência para cidade da região, mas o drama é o mesmo.
Não há vagas disponíveis na UTI.
A idosa usa oxigênio para respirar mas seus pulmões já estão muito comprometidos.
É temido que logo ela tenha que usar um aparelho respirador.
O que de acordo com as informações, está escasso no hospital em que ela está sendo atendida.

A idosa não tem plano de saúde, e está atendida pelo SUS.
Mas a família chegou a fazer o orçamento para tentar transferi-la para Maringá, no norte também do estado, para um hospital da Unimed.
Além de ser inviável pelo alto custo, não há vaga disponível para pacientes com Covid-19.
Nessa semana, houveram registros no estado de pelo menos 5 mortes, de pessoas que mesmo com plano de saúde, que faleceram por falta de vagas.
A situação é crítica no Paraná, cada vez mais tomado pela pandemia e pela falta de consciência das pessoas.
Nada diferente de o que está acontecendo no resto do Brasil.
A realidade de Margarida Peroni, apesar de chocar, é vivenciada por milhões em outras cidades e estados brasileiros.
Pessoas sem assistência e sem saúde, com um sistema em colapso por conta da falta de ação do governo federal.
O que torna essa historia ainda mais dramática, é que Margarida piora a medida que passam os dias.
E que desde a quinta-feira, 18, ela espera por uma vaga que não vem.