Editorial – Bolsonaro não é o dono do Brasil e não pode decidir quem fala ou o que fala a seu respeito

Do Informe Franca

21/03/2021 | 7h

O Presidente Jair Bolsonaro sempre debocha quando alguém diz que ele quer implantar uma ditadura no Brasil,
ou quando ele relembra na sua visão os “bons tempos”, que não foram bons assim, do governo Militar.
Na realidade o que todos falam, fazem, é relembrar que o Brasil não quer vivenciar de novo, os horrores daquela época.
Mas por outro lado é verdade que, Bolsonaro e aqueles que o defendem, tem um grande desejo de trazer de volta esses tempos ao país.
É por isso que hoje se fala em Estado de Sítio, medidas mais duras, fechamento do Congresso e do STF, AI-5, entre tantas outras coisas horrendas só por declarar.

A imprensa tem o papel de noticiar, seja o que for que está acontecendo.
Ninguém por nem uma forma ou modo pode querer silenciar o que é evidente.
E as pessoas tem direito de saber, o que pensa, o que fala, e como pretende agir seus governantes, seu Presidente.
Na democracia a grande regra do jogo, é saber lhe dar com o diferente.
Saber encarar as críticas e ao em vez de oprimir, tentar melhorar.
Quando não possível apenas ignora-las.

Jair Bolsonaro por sua vez decidiu atacar de uma forma diferente que qualquer outro Presidente.
Quando um apoiador fala em AI-5, ou outro ato antidemocrático,
o Presidente diz que todos tem direito a liberdade de expressão.
Quando alguém fala ou escreve que ele é genocida pela forma como conduz a pandemia da Covid-19,
quando diz que é negativista,
ele esquece a liberdade e diz que isso é um ataque contra a sua honra.
Usa seu cargo, seu poder e seu prestígio, para forçar investigações, repressões, por parte das forças de segurança.
Por parte da Justiça que está agora, a mercê de seus pedidos.
É preciso se mostrar posicionamentos fortes de todas as partes da sociedade,
não com revoltas mas sim com as ações necessárias e cabíveis, dentro do âmbito legal.

Nunca antes o Brasil teve tantas pessoas perseguidas por um governo, por dizerem o que pensam.
E não por ataques a democracia como fazem apoiadores do Presidente.
Nunca antes o Brasil teve a PF tão desviada de seu foco principal,
e se espelhando em combater apenas os combatentes de Bolsonaro,
que não o atacam fisicamente mas reproduzem, o que o Presidente demonstra, representa, o que ele faz se escrever.

Na semana passada, 25 pessoas foram intimadas para depor, em diferentes estados brasileiros, por comentários contra o Presidente Jair Bolsonaro.
O Youtuber Felipe Neto, foi alvo de uma intimação por ter dito que o Presidente era genocida, pela forma como agia na pandemia.
Certamente João Doria, governador de SP, logo também será chamado a depor por conta disso.
Outros Jornalistas, Sites de Notícias, personalidades, também vão ter que prestar esclarecimentos.
Todos tem o mesmo sentimento, todos dizem ou disseram o que pensavam do atual Presidente da nação, e de suas ações.
Ao em vez de tentar convencer-nos que estávamos errados e que ele é sim uma pessoa boa e capaz,
Jair Bolsonaro parte para o ataque, para a guerra.
Dissemina o ódio, dispara sua metralhadora, e manda repreender todos que pensam diferente destruindo carreiras e reputações.

O Informe Franca não ficaria de fora, das ações presidenciais.
Não haveria como.
Todos os dias nós estamos aqui, escrevendo, publicando, falando a verdade dos fatos.
Doam a quem doer.
Inclusive ao Presidente.
Não somos de direita, não somos de esquerda, não somos de centro,
somos do Brasil.
Somos brasileiros que como cidadãos, queremos o melhor para o nosso país.
Como Jornalistas, não nos refutamos em falar a verdade.

Podem ameaçar processar,
podem intimar nossos jornalistas,
podem pedir que a Justiça nos embargue e que encerrem as nossas atividades e cassem nossa licença como veículo de comunicação.
Mas o nosso legado não podem apagar,
nossa voz não podem silenciar.
A maldade humana e a insanidade de um Presidente “genocida”, não podem ser maior do que a força da Verdade.