Curitiba decreta Lockdown por 9 dias para tentar frear avanço de casos de Coronavírus

Por Nathália Mello, Do Informe Franca

14/03/2021 | 7h25

A cidade de Curitiba decretou a partir deste sábado, 13, e até o domingo, 21, um estado de Lockdown.
O motivo, a alta exacerbada de casos de Covid-19 que continuam em curva crescente na capital paranaense.
Apesar dos esforços da Prefeitura e de mais de 150 leitos abertos para UTI na semana passada, o Município enfrenta um dos momentos mais críticos da pandemia.
E vai piorar.

Estudos apontam que a cidade irá enfrentar uma onda, mais mortal que a passada entre o final de 2020 e começo de 2021.
O número de mortes poderá chegar a 100 infectados ao dia, declara o estudo.
O Prefeito da cidade gravou um vídeo em suas redes sociais, explicando a importância de se respeitar o decreto.
O Lockdown não será total, farmácias e supermercados poderão abrir, em horário reduzido.
Mas, outras atividades devem parar, ou funcionar somente Online.
A medida é necessária agora para salvar vidas.

Curitiba é uma das cidades no Paraná, que enfrenta os maiores problemas relacionados a pandemia de Covid-19.
Na cidade há 456 vagas de UTI para receber pacientes, e todas estão ocupadas.
Há, 1000 pessoas em fila para terem uma vaga em UTI, sendo distribuídas conforme surgem os leitos, para cidades da região.

Denúncia
O Informe Franca recebeu relatos de que, apesar da crítica situação da pandemia, alguns pontos fora da curva ocorrem na cidade e na região metropolitana.
Uma dessas denúncias apuradas pela Equipe, é que hospitais que atendem pacientes crônicos estariam obrigando os mesmos a colocar suas vidas em risco e enfrentarem a aglomeração para consultas presenciais.
A Reportagem ainda investiga a denúncia, para saber quais são essas unidades e as suas motivações por não darem o atendimento de telemedicina.
Na capital paranaense, os hospitais que foram consultados revelaram que, estão com atendimentos eletivos suspensos.
Cirurgias também foram canceladas e todos os esforços estão, em prestar atendimento aos pacientes com Covid-19.
Na região metropolitana da capital paranaense, exatamente de onde vem as denúncias, o fato ainda é apurado junto as instituições de saúde.

Ministério Público
O MP também foi acionado para que apurasse a denúncia recebida pelo Portal Informe Franca.
E deve nos próximos dias, visitar as instituições de saúde e convoca-las a se explicar, caso se encontrem aglomerações.