Fase emergencial – Após decreto do Estado, Alexandre Ferreira avalia se Franca deve ou não aderir

Por Mariana Maritan, Do Informe Franca

12/03/2021 | 11h14

O Prefeito de Franca Alexandre Ferreira, ainda não tem uma definição de como será na sua cidade a partir da semana que vem.
Nesta quinta-feira, 11, o governador João Doria colocou todo o estado de São Paulo numa fase ainda mais restrita da quarentena.
Denominada de fase emergencial pelo governo, antes dita fase roxa,
essa fase prevê que muitas atividades terão seu funcionamento reduzido, e só essenciais devem operar.
Uma lei municipal liberou na quarta, 10, toda a economia da cidade como atividade essencial.
Mas esse é um problema que será resolvido na Justiça.
Uma ação de inconstitucionalidade da lei, já tramita no Tribunal de Justiça de SP.

O governador tem mais poderes que um Prefeito porque o Estado é superior ao Município na hierarquia.Na prática o que Doria manda, Alexandre tem que obedecer.
Contudo, o Prefeito de Franca tem desacatado diversas ordens do governador.
A flexibilização das regras na quarta, foi apenas um exemplo disso.

Com números que garantiriam Franc na fase laranja, o Prefeito alega que a economia da cidade não irá sobreviver se tudo permanecer fechado.
Sofrendo pressão de comerciantes, ele tem permitido cada vez mais concessões nessas regras.
Foi a Justiça mas teve pedido negado, no entanto não fechou a cidade como mandava o decreto do governador.

Com a fase mais restrita do plano SP, Ferreira terá que tomar uma nova decisão.
Ou deixa sua popularidade de lado e fecha Franca protegendo vidas, e atendendo ao que determinou o governador Doria,
ou deixa tudo como está, e experimenta nova explosão nos casos sem contenções, e ações judiciais contra si e a Prefeitura Municipal.