Franca tem própria lei e poderá adquirir vacinas

Por Tayla Vieira, Do Informe Franca

11/03/2021 | 8h48

A cidade de Franca vai poder logo mais, comprar suas próprias vacinas contra a Covid-19 e não dependerá mais da União para isso somente.
A medida é graças a uma lei, aprovada pelos vereadores da cidade no último 9 de março.
Pela lei, Franca pode aderir ao Consórcio da Federação Nacional de Prefeitos, uma frente que reúne diversos municípios brasileiros.
Que se unem para adquirir em bloco as vacinas contra a Covid-19, sem intermédio do Ministério da Saúde.

Os Prefeitos tomaram a decisão de criar a frente de aquisição, por causa da demora em se conseguir as doses vindas do Ministério,
e pela incerteza do governo quanto a campanha de imunização.
A lei que autoriza estados e Municípios a comprarem suas vacinas, foi sancionada nesta quarta, 10, pelo Presidente Jair Bolsonaro.
A iniciativa privada também pode passar a importar imunizantes aprovados pela Anvisa.
Esses seriam, a Coronavac, a vacina de Oxford e a da Pfizer.
Outras marcas aguardam aprovação, como a Janssen, para importar seu imunizante ao Brasil.
Essa vacina tem uma grande quantidade de interessados, especialmente por ser mais barata e por ter apenas uma dose.
As demais precisam ser ministradas duas doses para que tenham eficácia garantida.

Os Prefeitos podem comprar suas vacinas para as cidades, ou as receber por meio de doação da iniciativa privada.
Franca, já começa a fazer estudos para adquirir suas próprias vacinas.
Com isso, o Prefeito Alexandre Ferreira espera agilizar o processo na cidade.
Até o momento pouco mais de 26 mil doses foram aplicadas em Franca.
Isso quer dizer que os números são baixos perto do grande volume de pessoas que precisam da imunizante na cidade.
A ideia é imunizar todas as pessoas sem deixar ninguém para trás, mas respeitando a ordem e prioridade determinada pelo Ministério da Saúde, explica o Município.