Recordes de óbitos – Brasil contabiliza 1972 mortes por Covid-19 hoje

Por Guilherme Kalel, Lìvia Tomazelli e Vanessa Rezende, Do Informe Franca

09/03/2021 | 19h

O Brasil voltou a registrar um novo recorde de mortes provocadas pela Covid-19 nesta terça-feira, 9 de março.
Foram ao todo, 1972 pessoas que perderam suas vidas na data de hoje, segundo os dados repassados ao governo federal e que foram confirmados a Reportagem do Informe Franca, pelas Secretarias estaduais de saúde.

Além disso o Brasil contabilizou mais 72 mil casos de pessoas contaminadas pela Covid-19.
Agora o país tem, 11122000 pessoas que contraíram a doença.
O número é corrigido visto que na semana passada de maneira errônea, foi publicado que o país tinha alcançado a marca de 11,5 milhões de casos.
Mas os dados estão alarmantes e subindo, e nesse ritmo devem alcançar esses números em breve.

O estado de São Paulo teve um novo recorde da doença hoje.
Das mortes ocorridas no país, 517 ocorreram no estado paulista.
A maior parte delas vindas de cidades do interior, onde até um certo tempo atrás as regras de flexibilização a quarentena eram ignoradas.
Enquanto isso, outras cidades paulistas continuam a preferir preservar o seu comércio a vida de seus cidadãos.

A situação caótica segue no Brasil como um todo,
reflexo do número crescente de casos, internações e mortes provocadas pela pandemia.
Enquanto tenta se equilibrar com doses de vacinas, o Brasil tem, 8 milhões de pessoas já vacinadas.
Mas o número está longe do ideal.
O governo federal promete que até o final de março, serão 30 milhões de doses entregues, capazes de imunizar 15 milhões de pessoas.

Alguns estados vivem situações mais dramáticas que outros.
Em São Paulo as mortes e internações em disparada, geram uma corrida por leitos em hospitais da rede pública e privada.
80,2% dos leitos estão ocupados em todo o estado segundo a Secretaria Estadual de Saúde.
Num levantamento paralelo esses números são maiores, apontam os dados direto com hospitais dos municípios paulistas.
O levantamento foi feito ao longo da tarde de hoje pela Reportagem do Informe,
depois da denúncia de que o estado estaria negando vagas por falta de leitos.
Pelo menos 14 pessoas já foram vitimadas fatalmente nos últimos 6 dias, a espera de uma unidade de tratamento.
11 em Taboão da Serra, outras 3 em Sumaré.

No Ceará, os hospitais tem 96,8% de ocupação no maior número desde que a pandemia começou.
A maior preocupação é com leitos de UTI e respiradores para todos.
No Amazonas, estado que enfrentou o primeiro colapso da saúde no Brasil em janeiro, com falta de oxigênio,
a situação não é muito diferente.
O estoque está mais controlado hoje, mas ainda é insuficiente se os números de internações continuarem em alta.
Alguns hospitais pedem que pacientes e familiares, comprem os balões para a respiração, algo até então não visto em lugar nem um do mundo.