Governo do Paraná volta aulas a partir de 15 de março e decreta fim de quarentena mais rígida para atividades não essenciais

Por Nathália Mello, Do Informe Franca

07/03/2021 | 7h

O governador do Paraná, fez novo decreto que dita as regras para entrarem em vigor, a partir de 10 de março relacionadas a pandemia da Covid-19.
As medidas foram adotadas segundo o governador, visando preservar especialmente os comércios que estavam sendo afetados no estado.
O governador disse que, tentou fazer com que as pessoas fiquem em casa.
Mas que os próprios cidadãos desrespeitaram todas as tentativas.
O índice de isolamento não chegou aos esperados 55%, por isso não faz sentido continuar condenando os comerciantes ao isolamento.

A partir de 10 de março as atividades não essenciais estarão liberadas para funcionamento no Paraná.
Lojas devem funcionar das 10 as 17h.
Bares e restaurantes podem abrir das 10 as 22h.
Contudo, após as 20h entra em vigor o toque de recolher no estado até o dia seguinte as 5 da manhã.
No período não pode haver consumo de comida ou bebida nos locais, apenas para retirada ou entrega.

As escolas da rede particular, retomam suas atividades a partir do dia 10.
Já a rede estadual de ensino, volta em ensino presencial a partir do dia 15.
Contudo nesse momento o ensino será híbrido.
Isso quer dizer que parte dos alunos ficarão em casa para as aulas remotas, outra parte volta para as salas de aulas.
Haverá um sistema de rodízio nas escolas a exemplo que acontece em outros estados, como São Paulo.
onde 30% dos alunos em cada sala estarão liberados para frequentar o ensino.

Academias estarão liberadas, das 6 as 20h todos os dias.
As aulas devem respeitar 30% da capacidade de pessoas do local atendidas.

O Paraná, é um dos estados que mais viu crescer a pandemia nos últimos meses.
Hoje, são cerca de 2,2 mil pessoas que estão internadas, a maior parte delas em UTI.
O estado não enfrenta escassez de leitos, mas uma certa dificuldade.
Houveram momentos mais críticos que pacientes eram precisados serem transferidos, para cidades longe de suas cidades de origem, porque não haviam vagas.
O estado tem trabalhado, para que consiga reverter esses números.
Mas algo tem preocupado no Paraná,
o número de crianças que estão contraindo a Covid-19.
Na semana passada mesmo, o estado registrou a morte de um bebê de 1 ano, vítima da doença.