Pandemia – Escolas devem ficar abertas mesmo em fase mais restrita de quarentena

Por Guilherme Kalel, Vanessa Rezende e Nathália Mello, Do Informe Franca

04/03/2021 | 7h55

As escolas em São Paulo, ficarão abertas mesmo com a fase vermelha no estado, que entra em vigor no dia 6 de março.
A informação foi confirmada pelo governo paulista.
Todas as redes, municipal, estadual e particular, poderão abrir e ter em seu interior, até 35% dos estudantes de cada sala de aulas.
Uma série de cuidados que já vinham sendo adotados precisam continuar o sendo.
Os pais não são obrigados a mandar os filhos para o ensino presencial nesse momento,
mas o Secretário de Educação defende que esta é a melhor alternativa.
Segundo ele, as crianças, especialmente aquelas entre 4 e 8 anos, em idade de alfabetização, precisam ter o contato com os amigos e professores,
para que possam se livrar de eventuais problemas psicológicos em função do isolamento.
Muitas famílias tem baixo poder aquisitivo e no meio da crise isso piorou,
o que atrapalha o desenvolvimento das crianças para o ensino remoto.

Mesmo com uma série de casos acontecendo em escolas e unidades tendo que fechar, a insensatez do governo estadual beira o insano.
A medida não poderia estar sendo colocada em prática, ainda mais com os aumentos dos casos da forma como vem ocorrendo.
Isso levanta nas pessoas uma série de questões, e acaba fazendo com que a maioria delas não respeite o isolamento social.
Se o comércio, o bar ou o restaurante não pode abrir, por causar aglomerações,
por qual motivo as escolas que também causam, ficarão abertas?

Uma pergunta que toda a sociedade paulista vem se fazendo, mas que até agora nem o governador nem seus auxiliares, foram capazes de responder.
Não de maneira convincente.
Entende-se que as crianças terão um certo dano psicológico pelo afastamento social.
Mas entende que também, é melhor um dano tratável do que algo que não tenha tratamento, ou que deixe a pessoa sequelada para sempre como os efeitos da Covid-19.

São Paulo é o estado que mais registra casos de Coronavírus e mortes no Brasil.
Consequentemente é também o que lidera no número de contaminações dentro de escolas.
Crianças, adolescentes e adultos, que pegam o vírus e espalham para mais pessoas com quem tem contato, antes, durante ou depois das aulas.
O modelo de controle no Brasil não funcionou, e é por isso que seria imperativo os estudantes ficarem em casa agora.

As escolas da rede particular, preocupadas com seu ganho, mantém as aulas em SP.
Prefeitos que não tem noção da realidade, e presam qualquer coisa ao em vez da vida, reabriram ou irão reabrir em março, suas escolas.
No governo de SP, mesmo com o professorado tendo decretado greve, o governo preferiu manter as aulas.
Os funcionários tiveram dias de trabalho descontados.
Hoje, uma boa parte do professorado de SP, pediu afastamento das salas de aulas, por tempo de 1 a 2 anos.
Isso, para garantir que não terão que voltar em meio a pandemia.
Sem contar que professores não foram ainda vacinados, assim como as crianças e adolescentes.
O que aumenta o risco de contágio da doença.