Pandemia – Com medo do vírus, cidades do entorno de Araraquara fecham serviços não essenciais

Por Guilherme Kalel e Nathália Mello, Do Informe Franca

23/02/2021 | 6h

Com medo por conta do Lockdow extremo decretado em Araraquara, SP, cidades do entorno ampliaram suas medidas de restrição por decretos Municipais.
Desde esta segunda-feira, 22, a maior parte dos Municípios vizinhos a cidade ficaram fantasmas.
As pessoas aderiram e pararam de sair as ruas, e a fiscalização aumentou.

Foram instaladas barreiras nas cidades, e ninguém que vem de fora pode entrar.
A polícia está nas ruas, e qualquer um que saia de casa sem motivação convincente, pode ser detido.
Além disso há multas pesadas que superam os R$ 6000,00 para quem desrespeitar a ordem.

Muitas dessas cidades tem pessoas que trabalham em Araraquara, e que viajam todos os dias para a cidade vizinha.
Boa parte delas em serviços essenciais que não fecharam.
Hospitais da cidade e outras empresas, estão em contato com as prefeituras para tentar fazer seus funcionários chegarem ao trabalho.
Muitos tiveram que usar o transporte por aplicativo ontem, segunda-feira, para ir.
Terão que o fazer nesta terça de novo.

Araraquara decretou, que das 12h de domingo, 21, a meia noite de quarta-feira, 23, as pessoas não devem sair de casa.
Somente serviços essenciais de saúde estarão abertos no período no Município.
Nem mesmo os supermercados podem abrir para clientes, mas podem fazer entrega se necessário.

A cidade vive uma das piores fases da pandemia.
Com 12 casos da variante de Manaus do Coronavírus, Araraquara tem 100% de seus leitos, quer sejam UTI quer sejam enfermaria, lotados.
Nas cidades da região a alta também é eminente.
Não há vagas para internar pacientes e muitos no Município, esperam por dias para serem transferidos, sem sucesso.

Por causa do que aconteceu lá e das cidades fecharem, o governo de SP começou a pensar em endurecer as regras da quarentena.
Nesta quarta-feira, 24, o governador João Doria deve divulgar novas medidas de combate ao vírus.
Há muitas cidades em que as variantes brasileiras, mais transmissíveis e letais, já estão em circulação.
São Paulo capital, Araraquara e Ribeirão Preto, são algumas delas.
O fechamento dos pontos nessa cidades, dependem de seus prefeitos.
Ou que o governador João Doria, determine uma ação mais firme.
A médica infectologista Yana Novis, disse que neste momento não temos que sair de casa.
O ideal é ficarmos em confinamento, e a economia precisa compreender que não pode se sobrepor a vida.
Devem haver esforços de todas as autoridades, para salvar as pessoas.