Disputa na pandemia – Estado e Ministério Público vão atrás de Alexandre por regras de flexibilização

Por Guilherme Kalel, Do Informe Franca

06/02/2021 | 20h40

O estado de São Paulo e o Ministério Público, notificaram o Prefeito de Franca, Alexandre Ferreira, do MDB, para que num prazo de 24h ele volte atrás em seu decreto de flexibilização feito neste sábado,
o decreto do Prefeito vai contra o feito na sexta, 5, pelo governador João Doria, do PSDB, que mantém Franca na fase vermelha da quarentena.

Atendendo a pressão de comerciantes, donos de bares e restaurantes, e dando um novo tiro no pé, o Prefeito acabou flexibilizando regras mesmo com Franca nessa fase mais rígida.
Pelo decreto de Ferreira, Franca pode abrir bares, restaurantes, o setor comercial e academias.

A medida é considerada perigosa porque vai ampliar as aglomerações, e com isso fazer com que os casos em alta, continuem a subir na cidade.
Hoje o que mais preocupa são as taxas de mortalidade e as internações da UTI.
Franca ampliou em mais 5 leitos sua capacidade de atendimento, tendo agora 42 vagas,
mas ainda sim não é um número suficiente já que mais de 80% delas estão ocupadas.

Alexandre ainda não se posicionou.
Além do governo do estado prometer notifica-lo, pois ele teve um ato inconstitucional indo contra um decreto do governo estadual,
o Ministério Público promete processar o Prefeito, por improbidade administrativa se ele não recuar.
Um documento feito com a assinatura de 10 promotores de Justiça hoje, recomenda que Alexandre faça um novo decreto, anulando as liberações aplicadas.

Na manhã deste sábado, depois de alguns dias com um regime mais rígido, Franca amanheceu com lojas, bares, restaurantes e academias abertos.
E as pessoas não demoraram a sair as ruas para aproveitar.