Paralisação – – Professores da rede estadual entram em greve por regresso presencial nas salas de aulas

Por Vanessa Rezende, Do Informe Franca

05/02/2021 | 20h59

O Sindicato Estadual de Professores de SP, informou nesta sexta-feira, 5, que a partir de segunda-feira, a rede estará em greve.
Em uma assembleia nesta tarde, formada por mais de 4 mil docentes, 81% deles definiram a paralisação.
O movimento é contra o retorno as aulas, de forma presencial, autorizado pelo governo do estado a ocorrer a partir desta segunda-feira, 8 de fevereiro.

As escolas não possuem condições sanitárias, equipamentos de segurança, nem como fazer o ideal distanciamento social entre alunos e funcionários.
Num momento em que a curva de contágios pela Covid-19 está tão elevada, o governador pede que professores e alunos voltem para as classes,
sem que se quer os professores tenham sido vacinados.

A Presidente do sindicato dos Professores, disse que isto é uma afronta, e que a categoria não deve ir as escolas.
Ela ainda cita, dados que comprovam que desde janeiro, quando o planejamento anual de 2021 começou com presença dos professores nas escolas, 147 docentes foram infectados.
Há ainda os registros de mortes de membros da categoria, relata.

Em nota a Secretaria de Educação, informou que a categoria não pode faltar as aulas sem justificativa, e que o professor que aderir a greve terá seu dia de trabalho descontado,
as escolas estarão abertas e medidas judiciais, serão adotadas contra o sindicato.
A Secretaria destaca que o movimento, tem viés político, e que por isso não deve prosperar.
Pede ainda que os pais e responsáveis, mandem os alunos para as escolas normalmente.

Pelo decreto do governo, nas fases laranja e vermelha a ida a escola é opcional, com 35% de ocupação dos prédios.
Já na fase amarela, a ocupação pode ser de 70% e a ida é obrigatória dos alunos.