Planos de saúde terão reajuste de 49%

Por Mariana Novacki, Do Health Informe

04/02/2021 | 6h

Os planos de saúde que não sofreram reajuste no ano passado, por conta da pandemia da Covid-19, esse ano já começam a mandar as faturas para seus clientes.
O aumento que não foi aplicado e que era referente as despesas do ano anterior, 2019, agora vai chegar junto ao reajuste de 2021.
Muitas prestadoras diluíram essas parcelas em 12 prestações, e acrescentaram-nas na mensalidade de janeiro.
O que fez as pessoas se assustarem com os números.

Em média um plano coletivo, que antes começava a custar a partir de R$ 440,00 em São Paulo,
saltou para R$ 660,00.
Uma alta que pode ainda crescer mais até o final do ano, e chegar em 49%.

Há um grande impasse entorno da questão,
a ANS suspendeu no ano passado os ajustes por causa da pandemia, que ainda não acabou.
Logo, as operadoras alegam que não tem como se sustentar, se não fizerem esse repasse.
E com isso, 25 milhões de brasileiros podem ter contas tão altas, que não conseguirão custêa-las.
No ano passado durante o auge da pandemia, planos de saúde individuais experimentaram um crescimento que há muitos anos não existiam no Brasil,
mas em contrapartida nesse ano, as prestadoras podem ter juntas a maior perda da historia.

Na Justiça, o Procon tenta reverter o que chamou de abuso econômico por parte das prestadoras.
A ideia é manter a suspensão pelo período da pandemia, e depois fazer o reajuste de maneira mais ordenada e escalonada.