Para ampliar atendimentos de UTI, Santa Casa de Franca quer transformar leitos de enfermaria em Unidades Intensivas

Por Lívia Tomazelli e Thais Garcia

Informe Franca – 26/08/2020 | 10h12

A Santa Casa de Franca opera neste momento, com sua capacidade máxima de leitos UTI para atender a pacientes com Covid-19.
Estão funcionando em Franca, 36 unidades de terapia intensiva especializadas, sendo 31 para adultos e 5 para a ala infantil.
Destas, as 31 vagas adultas estão ocupadas, o que tem trazido transtornos a quem precisa de leitos na rede pública.

Para tentar ampliar seu atendimento, a Santa Casa de Franca propôs ao governo estadual, transformar 10, das 24 vagas de enfermaria hoje existentes, em leitos de UTI.
Isso porque, não existe mais espaço físico suficiente para se ampliar leitos na rede hospitalar.
Os casos adulto de Covid-19, estão concentrados no Hospital do Coração, que faz parte do complexo hospitalar Santa Casa.
Mas, não comporta mais pela falta de espaço, novos leitos.
O problema vem sendo apontado pela instituição, há meses.
Desde o início da pandemia e da compra de primeiros leitos pela Prefeitura de Franca, e depois pelo estado, a Santa Casa tem alertado que não dispõe de espaço físico
suficiente para comportar essas vagas.
Para ampliar sua capacidade, necessitaria de obras que levariam no mínimo 2 meses para ficar prontas.
Além do tempo que não se tem, ainda a Santa Casa precisaria de altos valores de investimentos.

O governo do estado, prometeu entregar 30 leitos de UTI para a região de Franca, em julho.
Até agora, apenas 15 deles saíram do papel.
Outros estão parados.
Mas esses leitos não são necessariamente em Franca, mas em cidades da região,
que poderiam receber pacientes do Município.
Como o caso de São Joaquim da Barra e Ituverava.
O problema, é que por serem cidades menores, esses locais não dispõe de uma grande estrutura hospitalar, como há em Franca.
Sem contar no deslocamento dos pacientes, e eventuais familiares.

Por enquanto, a solução para Franca ainda não veio.
O Secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, que está afrente da coordenação de dados para o combate a Covid-19, afirmou que o estudo da Santa Casa não foi descartado.
Ele foi vetado num primeiro momento, mas que ainda análises técnicas estão sendo feitas.
O Secretário destacou que, se transformar leitos de enfermaria em UTI, corre um risco de efeito negativo.
O Hospital ganharia 10 leitos para UTI, mas perderia 10 leitos de enfermaria, e são preciso os dois para tratamento de pacientes.