Operação da PF prende sócios da Avianca Brasil na Lava Jato

Por Mariana Novacki

Informe Franca – 19/08/2020 | 9h38

A Polícia Federal, em colaboração com o Ministério Público, deflagra nesta manhã de quarta-feira, 19 de agosto, a operação Navegar é preciso, 72ª fase da Lava Jato.
Mandados de busca, apreensão e prisão, são cumpridos desde as primeiras horas do dia, em São Paulo, Niterói e Alagoas.

O objetivo da operação, é encontrar provas e deter pessoas, que foram responsável por pagar R$ 40 Milhões em propina, para a empresa Transpetro.
A empresa era subsidiária da Petrobras, para assuntos de petróleo e de navios.

De acordo com as investigações, dois irmãos, que eram donos de um estaleiro, pagaram a propina a um Executivo da Transpetro, para obter vantagens na contratação dos serviços
para a construção de navios.
O dinheiro pago, foi feito por meio de contas em bancos no exterior.

Os dois irmãos, que foram alvos da operação, foram presos nesta manhã em São Paulo, por ordem da Justiça Federal em Curitiba, onde corre a operação.
Mas por conta da pandemia de Covid-19, e de suas idades, a Justiça autorizou que suas detenções fossem em sistema de prisão domiciliar.
Os dois, são sócios da Avianca Brasil, empresa que entrou em recuperação judicial, e que decretou falência em julho após não conseguir se recuperar.
Eles eram acionistas da companhia aérea, mas foram denunciados pelo pagamento de propina em seu estaleiro.
A Avianca, não é citada nas investigações e não teve nada a ver com os pagamentos de propina a agentes públicos.