Bolsonaro prepara retorno ao PSL depois de ideia frustrada de criação de próprio partido

Por Carolina Winter

Informe Franca – 14/008/2020 | 12h59

O Presidente Jair Bolsonaro, está praticamente de volta ao PSL,
avisam interlocutores do mandatário, para quem quiser ouvir.

Um acordo entre o Presidente e o partido que ajudou a se eleger em 2018, está sendo feito desde a semana passada.
Os termos finais do acordo, devem ser discutidos no começo da semana que vem, numa reunião entre Bolsonaro e o Presidente da Legenda, Luciano Bivar.

O acordo prevê que o PSL deve aceitar de volta todos aqueles que saíram da Legenda, sem qualquer punição.
Em troca, os parlamentares desistiriam de ações na Justiça contra o partido, e Bolsonaro iria desistir de fundar o Aliança Pelo Brasil.

O Presidente se afastou do PSL em novembro do ano passado, depois de uma disputa interna na Legenda,
com o sonho de criar sua própria agremiação partidária.
Não deu certo, porque o Presidente não conseguiu no tempo que esperava, reunir o número de assinaturas precisas para solicitar um registro de partido político no TSE.
O resultado disso, é que nas eleições municipais de 2020, o Aliança já nem vai ou iria, ter como disputar.

Bolsonaro começou a se reaproximar de pessoas no PSL, através de interlocutores.
Agora parece ficar disposto a esquecer, eventuais mágoas que se formaram, para uma reconciliação com o partido.
O problema é que, se entre Bivar e Bolsonaro está tudo quase certo, eles precisam agora convencer o resto do partido.
Muitos parlamentares que hoje estão contra o governo, por considerar que Bolsonaro traiu as Pautas defendidas na campanha, repudiam a volta dos deputados, senadores e do
próprio Bolsonaro a Legenda.
Major Olímpio, um dos nomes fortes hoje do PSL, disse que daqui a pouco o partido seria obrigado a aceitar Queiroz, como Tesoureiro.

A alusão, é a Fabrício Queiroz, que foi Assessor da Família Bolsonaro no Rio de Janeiro,
e atualmente está preso, por um esquema ilegal na Assembleia Legislativa do Rio.
Bolsonaro não comentou ainda publicamente sobre seu regresso ao PSL, mas já deu mostras de que prepara o terreno político para esse reingresso.
Contudo, o Presidente só deve se refiliar em dezembro deste ano, depois das eleições municipais.
O Presidente disse que não quer participar das eleições, e que não vai apoiar nem um candidato as prefeituras.
O que frustrou muita gente que sonhava, ou esperava, colar sua imagem a do Presidente para se fortalecer na disputa.