Atividade liberada – Prefeito de Ribeirão Preto permite reabertura de templos e igrejas

Informe Franca – 13/08/2020 | 7h25

A cidade de Ribeirão Preto, no interior de SP, com grande número de casos de contaminações por Covid-19, saiu da fase vermelha e foi para a amarela, no último decreto do
governo estadual, na semana passada.
Com isso, algumas atividades podem regressar, como comércios, shoppings, entre outras.
Porém, algumas outras seguem proibidas, pelo próprio decreto de operar.

É o caso de escolas, universidades, academias, salões de beleza, e bares e restaurantes.
Mas o Prefeito de Ribeirão, Duarte Nogueira, permitiu através de um decreto Municipal, uma exceção, que pode se tornar perigosa.
Nogueira permitiu que as igrejas e templos religiosos, reabram suas portas.
Desde que respeitem algumas regras.

Não podem haver contato físico entre as pessoas e as celebrações devem se limitar a 30% da capacidade do templo.
As pessoas devem ficar 1 metro de distância no mínimo umas das outras.
Todos devem usar máscaras, e os templos devem ter álcool em gel.

Com essas normas cumpridas, as atividades religiosas podem ser retomadas, porque na visão de Duarte Nogueira, são essenciais,
e já ficaram muito tempo paradas, por conta da pandemia do novo Coronavírus.

O problema é que, o estado de São Paulo ainda enfrenta uma grave crise da doença, inclusive com falta de leitos para atender a demanda.
Ribeirão Preto, tem uma das altas taxas de contaminações do interior Paulista.
Reabrir os templos religiosos na fase amarela, nesse instante parece uma decisão política e não pensando no bem-estar das pessoas.

Apesar de compreender que a fé é importante, o que as pessoas ainda não compreenderam, é o que a aglomeração delas pode significar.
E Ribeirão, já experimentou essa sensação.
Em junho, a cidade chegou a ir para a fase amarela, mas regressou para a vermelha semanas depois.
Com a flexibilização, dispararam os casos e chegou a faltar leitos no Município.
Com a nova liberação de Nogueira, tal acontecimento pode se repetir.

Enquanto em Ribeirão, o Prefeito libera as igrejas para funcionar em plena fase amarela, em Franca a situação é ainda pior.
Gilson de Souza, permite sem ser de maneira direta, que os templos abram suas portas.
A cidade está na fase vermelha e o Prefeito tem feito vistas grossas para a abertura de templos religiosos.
Afinal, é ano de eleição, e as vidas não importam.