Senado aprova projeto que limita juros do cartão de crédito

Por Carolina Winter

Informe Franca – Brasília 07/08/2020 | 7h

Um projeto aprovado no Senado Federal nesta quinta-feira, 6, pode ajudar famílias nesse momento de crise no Brasil e até depois dele.
A proposta que foi aprovada e que segue para análise da Câmara Federal, prevê uma limitação para os juros aplicados no cartão de crédito.
Hoje, essa operação ultrapassa os 300% ao ano.
E algumas instituições vão além e cobram, até 600% ao ano de juros.

Em meio a uma pandemia e uma grave crise econômica, os senadores entenderam que mudanças precisavam ser adotadas e um maior controle feito nos bancos.
A exemplo do que houve no cheque especial.
A tarifação deste produto, se limitou a 8% ao mês, e 151% ao ano.
Uma das maiores operações de créditos do Brasil.
Mesmo assim, o juro do cartão ainda é muito mais elevado e é por isso que os senadores decidiram pautar o projeto.

Pelo novo projeto, os bancos poderiam taxar o cartão, em no máximo 30% ao ano.
Já as fintechs, teriam uma flexibilização um pouco maior, 35% ao ano.

A proposta enfrenta resistência por parte dos bancos e do governo federal.
Mas, agora tem que passar pelo crivo dos deputados, antes de discutir sua sanção pelo Presidente.
O Brasil, passa por uma situação delicada, onde os senadores defenderam que vale mais a humanidade da questão, do que argumentos técnicos.
As famílias estão cada dia mais usando o cartão de crédito, para cobrir despesas mensais que antes não faziam.
O produto virou, item de necessidade e não mais de usabilidade para parcelar compras.

Entre os bancos que aplicam a maior taxa de juros no cartão, está o Agibank.
A instituição gaúcha cobra uma média, de 50% ao mês, no rotativo do cartão.
Média de 600% ao ano.