Novo Coronavírus – Brasil chega a 93563 mortes

Por Mariana Monary

Informe Franca – 02/08/2020 | 7h

O Brasil registrou neste sábado, novos números relacionados a mortes e casos de Covid-19.
Que aumentaram ainda mais, os dados e estatísticas de destruição deixada pelo Vírus.
Os dados divulgados pelo Ministério da Saúde, confirmam que o Brasil já contabiliza 93563 óbitos provocados pela doença.
A maior parte deles, registrados no estado de São Paulo, mais de 23 mil.

O número de casos, é de 2707877 pessoas infectadas.
Com São Paulo mais uma vez afrente nos números.

O Brasil ainda é o 2º país do mundo, com a maior taxa de contaminação e morte provocada pelo Coronavírus, atrás dos Estados Unidos.
E no ranking de recuperação, é o que registra no planeta a maior taxa.
Com mais de 1,8 milhões de pessoas que se curaram.

O sábado também foi dia de, informações relevantes a respeito das vacinas da Covid-19.
A corrida para saber quem será o primeiro país a desenvolver um imunizante eficaz, ganha cada vez mais força, com a Rússia agora na sua liderança.
O governo russo disse que, a partir de outubro deve começar a aplicar a vacina, ainda em testes, para grupos específicos de pessoas.
Serão imunizados primeiro, trabalhadores da saúde, segurança e educação, no país.
Posteriormente a vacina poderá ser comercializada a outros países, incluindo o Brasil, que já deve testa-la logo mais.

Já em testes há alguns dias por aqui, a vacina de Oxford porém, é a que parece ter melhores resultados entre os testes já aplicados.
O que significa que, correr contra o relógio também precisa demonstrar responsabilidade, como os ingleses tem feito.
Os dados de Oxford revelam que, a partir de 2021 a vacina vai estar disponível para a população.
Com os testes previstos a ser encerrados até setembro, o Brasil deve começar a produzir no Instituto Butantan, a vacina a partir de dezembro deste ano.
A expectativa é que, a partir de janeiro do ano que vem, a doença possa ter uma vacina de combate.

Serão criadas pelo Instituto, 30 milhões de doses da vacina, que serão distribuídas no Brasil.
Ao todo, a produção ficará orçada em R$ 1,8 Bilhões.