Editorial – Não é só uma gripe e nem tão pouco brincadeira

Informe Franca – 26/07/2020 | 8h18

O Brasil tem, nesta data de 26 de julho, quando este artigo é escrito, quase 2,4 milhões de casos confirmados de Coronavírus.
86449 mortes da doença que já foram confirmadas e outras tantas suspeitas que estão na fila por exames.
Gente que morreu com Covid-19, sem saber que tinha, pela demora em realizar as confirmações.
São poucos laboratórios que estão credenciados para os testes, e cada teste feito é preciso ser enviado a contraprova do governo.
É quase como se, o governo não confiasse no que dizem os cientistas e integrantes dos laboratórios, e por isso tem que se verificar, cada um deles.

Mas a grande questão aqui é,
ao contrário do que se pensa, os números no Brasil mostram que este vírus não está para brincadeira, e mais importante,
não é uma gripe de nada.

O vírus tem múltiplos sintomas, afeta as pessoas de diferentes maneiras, cada organismo reage de um jeito.
Mas em comum, existe o fato que a única forma de evitar seu contágio, é se isolando.
Não que todos tem que ficar dentro de uma bolha, mas todos tem que entender, a gravidade da situação quando se fala em Coronavírus.
Entendendo isso, deixar de fazer coisas banais do dia dia, e que podem ser feitas em outro momento.
Comprar uma roupa, um carro novo, fazer uma festa.
São coisas que podem passar nesse momento, esperando que em outra oportunidade possa se fazer.
E quando não houver jeito e uma compra tiver de ser realizada, optar pelas compras que entregam na sua casa.
Receber o entregador com máscara, e sair de casa sempre com máscara.
Ir ao mercado para comprar itens essenciais, quando for necessário.
E não ficar indo ao mercado todos os dias, buscando um item ou outro conforme acabam em casa.
Outra coisa importante, é o contato com as pessoas nas igrejas e templos religiosos.

A fé é importante e uma das coisas mais essenciais, para enfrentar este momento difícil.
Mas não sejam tolos ao acreditar que esta mesma fé, irá impedir as pessoas de se contaminarem só porque estão numa igreja.
Ao contrário, com mais pessoas presentes a chance de contaminações, aumentam.
Por isso, é importante que se compreenda, este não é o momento de ir a igrejas..
As orações podem ser realizadas de casa e Deus, na plenitude de sua sabedoria e grandeza, irá ouvir a todos que a ele pedirem, proteção, cura, paz, etc.
Não é preciso estar dentro de um templo para se ficar perto de Deus, e as pessoas precisam compreender e levar isso a sério.

Franca, é uma das muitas cidades que está nesse momento de crise, sem liderança.
O resultado são números crescentes de morte e contaminação,
com comércios, igrejas e afins, abertos.
Escancarados sem medo de fiscalização ou de multas, porque sabem que estas não chegam, por conta da Prefeitura.
Gilson de Souza, Prefeito de Franca, está mais preocupado em fazer uso político da pandemia, do que liderar a situação como teria de ser.
Por isso, quer ficar bem com igrejas, comerciantes e empresários.
Assim, pensando garantir recursos a sua campanha política da reeleição.
O Prefeito não se importa, com as vidas que estão se perdendo, e as pessoas que contaminadas, terão sequelas nesse processo.
52% de pessoas que contraem o novo Coronavírus, tem sequelas da doença ou complicações.
Os dados são de estudos científicos, feitos no mundo todo, a partir de dados registrados da pandemia.
Então, que as pessoas se conscientizem, já que os políticos parecem não ter consciência, nem compreender a gravidade da situação.