Polícia Federal indicia Alckmin na Lava Jato de SP

Por Guilherme Kalel e Carolina Winter

Informe Franca – 16/07/2020 | 18h05

A Polícia Federal indiciou o ex-governador de SP Geraldo Alckmin, do PSDB, e dois membros do antigo governo Paulista comandado pelo tucano,
Eles são acusados no âmbito da operação Lava Jato, com investigações abertas em São Paulo a partir de delações premiadas feitas por executivos da Odebrecht.
Os políticos são apontados como beneficiários de esquemas que recebiam, aportes financeiros da empreiteira para serem usados em campanha eleitoral.

Também, foi apontada a formação de cartel pela Odebrecht e outras construtoras, para executar obras do Metrô de SP, durante o governo Alckmin, de 2014 a 2018.
O político repudiou as acusações que recebeu, e disse que confia na Justiça para restabelecer a verdade.
Os outros indiciados no processo, não comentaram.

Eventualmente indiciar alguém, significa apenas que a pessoa vai responder pelo crime ao qual está sendo acusado.
A denúncia será apresentada a Justiça que decide, se há provas ou não para transforma-la em processo criminal.
Em se havendo, Alckmin então se transformaria em réu e seria eventualmente julgado pelos crimes.
E se condenado, poderia ser preso e perder seus direitos políticos.
Por não ter foro privilegiado mais, o ex-governador deve ser julgado na Primeira Instância da Justiça comum, antes que o processo seja levado a tribunais superiores.
Exatamente como ocorreu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado pela Lava Jato de Curitiba, e por outros Tribunais no caso do triplex do Guarujá.