Exclusivo – Aplicativo criado para arrecadar doações em Lives de artistas cobram clientes em duplicidade

Por Nathália Valle

Informe Franca – 07/07/2020 | 7h

Com a quarentena os artistas estão tendo que repensar suas maneiras de se apresentar para seu público.
Cantores, duplas e grupos, encontraram nas Lives feitas por canais no Youtube, Instagram, Facebook e até em sites próprios, um meio de fazer isso.
Neste processo também encontraram uma forma de ajudar a pessoas que precisam.
Através de parcerias com entidades, esses artistas vem veiculando seus nomes e marcas, a hospitais, instituições de caridade e fundações.

Algumas dessas fundações estão ligadas a um aplicativo criado, para receber doações diretas pela internet.
O aplicativo pode ser baixado nas lojas de APPs, ou ser aberto direto com um código eletrônico disponibilizado nas telas das Lives.
O que pouca gente sabe, é que as cobranças feitas por esse tipo de aplicativo estão sendo alvo de questionamentos, muitas das vezes sem se quer os artistas terem conhecimento
disso.
Os aplicativos, tem cobrado duas ou mais vezes, nos cartões de crédito daqueles que se disponibilizam a fazer a sua doação.
Assim uma compra que deveria custar 10 ou R$ 20,00, pode chegar a valer mais de R$ 60,00.

Nas lojas de aplicativos, há centenas de comentários de pessoas que reclamam do desempenho do aplicativo.
E da cobrança indevida que nunca é reembolsada.
Há algumas respostas que parecem ser automáticas, por parte dos desenvolvedores, mas nada de concreto está sendo realizado.
O problema é que, esses aplicativos muitas das vezes, estão interligados a instituições sérias.
Como o Hospital do Câncer de Londrina no Paraná,
e o Hospital do Câncer de Barretos, no interior de SP.
Centro de referência internacional, a Fundação que gere o Hospital, fez com que se transformasse num dos mais importantes do Brasil.

Recentemente o hospital chegou a mudar seu nome para Hospital de Amor de Barretos,
para quebrar um pouco do paradoxo de um tratamento de câncer.
Com o novo slogan, o Hospital consegue ampliar seu leque de atuações, nas esferas particular e principalmente pública.

A Reportagem do Informe Franca, tentou contactar os aplicativos que são alvo das denúncias por parte de leitores do Portal.
Os APPs, não responderam aos contatos.

Aos artistas, fica o alerta para que possam averiguar exatamente, onde estão associando a seus nomes e marcas quando permitem esse tipo de recurso em suas Lives.
Ajudar ao próximo é importante, mas é preciso fazer isso com responsabilidade.