Passagem de ciclone bomba deixa 10 mortos no sul

Por Isabella Peroni

Informe Franca – 01/07/2020 | 7h
Atualizado | 12h45

A passagem de um ciclone bomba no sul do país, causou estragos que ainda são contabilizados nesta quarta-feira, 1º.
A passagem do fenômeno aconteceu entre a tarde e noite de terça-feira, 30 de junho,
como o resultado de um impacto de uma frente fria vinda da Argentina, em um ciclone extratropical no oceano.

Os ventos ultrapassaram a casa de 100 KM/H, e atingiram os estados do Paraná, Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.
As fortes chuvas seguidas de rajadas de ventos, deixaram alagadas as ruas da capital gaúcha.
Em alguns pontos da cidade, a água chegou a invadir um condomínio de apartamentos.
Em outro ponto do estado, um buraco se abriu no meio de uma rodovia por causa dos impactos no solo.
Um idoso morreu de acordo com a Defesa Civil gaúcha, em decorrência de um deslisamento provocado pelo ciclone.

No Paraná, houveram ao menos 500 ocorrências de destelhamentos, árvores que caíram e locais sem energia elétrica.
Já em Santa Catarina, 1,5 milhão de pessoas ficaram sem energia elétrica na noite de terça-feira.
O estrago provocado pelo ciclone, deixou 800 ocorrências registradas no estado.
Dentre elas, a morte de 9 pessoas e uma que está desaparecida.

Os dados meteorológicos, mostram que nesta quarta-feira, o sul do país ainda deve ter efeitos do ciclone.
Que avança agora para o sudeste do país.
A previsão é que a baixa temperatura, atinja São Paulo, entre a tarde e noite desta quarta-feira.
Contudo, o ciclone deve se desmanchar, ao chegar no sudeste.
Mas o mar permanecerá agitado.
Nesta manhã, houve o registro de lanchas e barcos que afundaram, em cidades da baixada santista.