Auxilio Emergencial – Governo pretende fracionar pagamento de parcelas extras

Por Ester Marini e Lara Weterman

Informe Franca — Brasília 30/06/2020 | 19h

O governo federal confirmou nesta terça-feira, 30 de junho,
que vai pagar duas parcelas amais do Auxilio Emergencial.
Deste modo, ao em vez das 3 parcelas previstas, o programa teria 5 parcelas ao seu final.

Diferente do que se pensou inicialmente, os pagamentos não seriam por mais 2 meses e sim, por mais duas parcelas.
Isso indica, que esses pagamentos seriam fracionados, segundo a equipe econômica.

R$ 500,00 seriam pagos no começo de julho, enquanto outros R$ 100,00 seriam pagos no final do mês.
Em agosto, seriam feitos um pagamento de R$ 300,00 no começo do mês e outro de R$ 300,00 no final.
Para fazer esses pagamentos, o governo enfrenta alguns entraves que precisam ser superados.
O primeiro deles é que os pagamentos estão sendo realizados em desordem e por lotes,
conforme a liberação das análises pela Dataprev.
Algumas pessoas estão recebendo o terceiro lote de parcelas, enquanto outras pessoas, começarão em julho a receber o primeiro.
Para liberar os recursos, não se sabe como o governo faria, com as pessoas que estão mais atrasadas.

Outra questão que precisa se esclarecer, é, que os pagamentos das parcelas remanescentes se encerram em 4 de julho.
Então precisava-se saber, quando no começo do mês, é que seriam pagas as novas parcelas de R$ 500,00.

No começo, o governo federal gostaria de fracionar o valor, para criar parcelas menores do Voucher.
Mas isso gerou um impasse com o Congresso que foi contra.
Por isso, o governo federal apareceu hoje, com essa nova formatação e a informação, do jeito com que as parcelas seriam quitadas.