Auxilio Emergencial – Caixa deve encerrar cadastramento em 2 de julho

Por Isabella Peroni

Informe Franca — 28/06/2020 | 7h

Sem qualquer prorrogação a Caixa Econômica Federal vai encerrar no próximo 2 de julho, o prazo para que pessoas possam pedir o Auxilio Emergencial.
O benefício é pago a trabalhadores informais, pessoas com baixa renda e desempregados,
desde que cumpram uma série de requisitos, e vem sendo custeado pelo governo desde abril.
Já foram pagas parcelas escalonadas, na casa de R$ 600,00, totalizando R$ 90 Bilhões em pagamentos creditados para 64,1 milhões de pessoas.
Até julho, este número deve ultrapassar as 65 milhões.
O banco destacou nesta sexta-feira, 26, que o prazo de cadastramento não será prorrogado e que serão analisados, cadastros que derem entrada no sistema até o dia 2 de julho.
As parcelas extras que vem sendo discutidas pelo governo federal de pagamento da ajuda emergencial, só serão creditadas aos que forem aprovados para receber parcelas
anteriores, segundo o banco.
O que reforça a tese de que, não há prorrogação prevista para novos cadastros.

O governo federal, prometeu o pagamento de 3 parcelas o valor de R$ 600,00 do benefício.
Depois de ver que o número de solicitações foi muito superior ao calculado, agora o Presidente Jair Bolsonaro estuda pagar mais 3 parcelas, com valores menores.
De R$ 500,00, R$ 400,00 e R$ 300,00 respectivamente.
Enquanto isso o governo trabalha para criar um programa chamado Renda Brasil,
que seja substitutivo ao Bolsa Família.

Com previsão de ter valores entre R$ 200,00 a R$ 300,00 mensal, a ideia é que o benefício atinja mais pessoas que o Bolsa Família.
O programa vem sendo formatado desde o ano passado pelo Ministério da Economia, mas ganhou mais força após a pandemia do Coronavírus atingir o Brasil.
Foi só com o cadastro de milhões de brasileiros para acesso ao Coronavoucher, que o governo federal pôde ter uma melhor dimensão do problema de distribuição de renda que existe no país.