Banco Central suspende pagamentos pelo Whatsapp

Por Nathália Valle

Informe Franca – 24/06/2020 | 7h

Não durou nem 10 dias, o serviço de pagamentos via Whatsapp, lançado pelo Facebook no Brasil.
O sistema foi interrompido por ordem do Banco Central, nesta terça-feira, 23.
De acordo com o BC, hoje o Whatsapp tem 120 milhões de usuários no Brasil,
um número maior que qualquer banco do país tem registrado de clientes.
Se o aplicativo pudesse usar o mecanismo de pagamentos que desenvolveu, isso poderia gerar um grande desequilíbrio econômico em todo o país e no seu sistema financeiro.
Outra justificativa, é que a Cielo que tem um acordo para explorar o sistema, teria irrestritamente a maior base de dados do país, o que seria desleal com outras concorrentes.

Com a proibição do Banco Central, o Whatsapp não pode mais oferecer a função, que vinha sendo liberada gradativamente para seus usuários.
As bandeiras de cartões que haviam aprovado o tipo de transação, foram comunicadas para que suspendessem o sistema.
Também, Banco do Brasil, Nubank e Sicredi, instituições financeiras que aceitaram participar nesse primeiro momento do programa do Whatsapp, foram comunicadas de que não podem mais operar com o sistema.

Não foi somente o Banco Central que entrou na briga, para frear as ambições do Whatsapp em se tornar um super aplicativo.
O Conselho Administrativo de Defesa Econômica, Cade, elaborou um relatório no qual identifica, que não foi consultado para liberar as operações por pagamentos via Whatsapp.
A medida sem o aval do Cade, seria ilegal porque não levou em conta bases essenciais do livre comercio de serviços.
Deste modo, mesmo que o BC não tivesse suspendido a operação, o Cade faria a recomendação para que fosse.

O Informe Franca procurou o Facebook, dono do Whatsapp, para que pudessem comentar a decisão.
Até a publicação desta reportagem, não houve uma resposta ao Portal.