Em Franca, salões desrespeitam decreto municipal, abrem as portas e fazem até reforma

Por Guilherme Kalel

Informe Franca – 18/06/2020 | 7h

A cidade de Franca está na fase laranja, do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena.
Nesta fase, o setor comercial, de escritório, concessionárias e imobiliárias, podem abrir por até 4h por dia.
Serviços considerados essenciais como hospitais, supermercados e bancos, continuam seus horários de atendimento estabelecidos antes da flexibilização começar.

Mesmo assim, o número de casos de pessoas com Coronavírus, tem aumentado em Franca.
Com um número crescente de mortes inclusive por causa da doença.

Igrejas, templos religiosos, salões de beleza e barbearias, que estavam abrindo mesmo contra a ordem do governo do estado,
precisavam fechar as suas portas.
Aliás, uma ordem judicial determinou o fechamento daqueles serviços que não se enquadravam na fase laranja que a cidade está.
O Prefeito Gilson de Souza, em 11 de junho, emitiu novo decreto que proibe funcionamento desses locais.
Representantes de salões de beleza, de igrejas de diversos seguimentos, protestaram.
Inclusive indo a Câmara para dizer que tinham o direito em abrir e funcionar, se comparando ao comercio e aos supermercados, todos abertos e com aglomeração de pessoas.

Mas por hora o decreto não foi revogado,
Franca deve obediência ao governo estadual, e esses locais teriam de permanecer fechados.
Mas alguns salões, desafiam a autoridade do Prefeito,
do governador João Doria, e colocam em risco a vida das pessoas que frequentam ou são vizinhos dos lugares.

Numa passeada pelas ruas de Franca, não é incomum encontrar salões funcionando, muitos com as portas meio abertas.
Em alguns pontos o descaramento e desrespeito são ainda maiores.
Os salões ficam literalmente aberto mesmo.
E ainda fazendo obras de melhorias, construção e reparos.

Pelo menos 8 diferentes pontos de Franca foram flagrados, com salões de beleza em funcionamento.
E em um deles, as obras citadas pela Reportagem.
O salão é localizado numa rua de grande fluxo de veículos, na cidade de Franca.
Onde, qualquer um que passe pela porta do local pode ver a sua atividade.
Os horários de maior movimento são, no período da tarde.
Quando a porta está aberta, e há clientes, as vezes mais de uma, dentro das dependências do salão.