Senadores rejeitam aumento de margem para crédito Consignado e frustram financeiras e beneficiários do INSS

Por Carolina Winter

Informe Franca – 17/06/2020 | 7h02

Mais uma vez os senadores votaram projetos como quiseram, e foram contra a vontade da maior parte das pessoas que esperavam obter uma ajuda extra.
Nesta terça-feira, 16, os Parlamentares impugnaram um trecho de um projeto da MP 936, que discutia medidas do governo na Quarentena.
Apesar de aprovar o texto que permite ampliar a redução de jornada de trabalho, e a suspensão de contratos por mais 60 dias,
os senadores impugnaram o trecho que aumentava de 35 para 40%, o limite de empréstimos Consignados.

Financeiras davam como certa a aprovação e já haviam inclusive digitado contratos, assinados por clientes.
Os aposentados e pensionistas do INSS, o maior público que seria beneficiado com a medida, esperava obter 5% amais de margem para um crédito extra.
Que poderia significar fôlego nesse momento de crise econômica.

A pesar do projeto ter sido retirado da votação, ele não foi devidamente sepultado.
A Pauta voltará a ser discutida em outro projeto de lei, mas ainda sem data para acontecer.
Esta é a segunda vez que o projeto não é aprovado, e que os beneficiários do INSS esperam frustrados pela alternativa.
Em março, o governo federal anunciou que a margem de Consignação seria ampliada.
Em abril o projeto deveria ser votado pela Câmara mas não o foi.
Então nesse sentido, os contratos firmados naquela época precisaram ser cancelados.

Agora, mais uma vez, depois que a Câmara aprovou o texto há 15 dias,
o Senado só precisava aprova-lo para seguir a sanção presidencial.
E de novo, os planos não se concretizaram.
O projeto impugnado, ocorreu por pedido de senadores do PDT, que conseguiram apoio para suprimir este trecho da votação.

Hoje, 30% do salário do beneficiário pode ser usado para contrair empréstimos e 5% para se ter um cartão de crédito.
Se a medida tivesse sido aprovada, esse limite de consignação aumentaria para 35% de empréstimo, mantendo os 5% do cartão, o que totalizaria 40% de comprometimento da renda com Consignações.