Prefeito de Franca proibe cultos, missas e salões de beleza funcionarem na quarentena

Informe Franca – 12/06/2020 | 7h22

O Prefeito de Franca Gilson de Souza, voltou atrás na sua decisão de liberar igrejas tomada em 30 de maio.
Nesta quinta-feira, 11, um dia depois da Justiça proibir os templos de reabrirem na cidade, por violar as regras de decreto estadual,
o Prefeito baixou novo decreto.
Além de proibir missas e cultos, Gilson reforçou a proibição para o funcionamento de salões de beleza e barbearias no Município.
Quem for flagrado operando sem autorização, ou se uma igreja realizar missa ou culto,
os responsáveis podem ser multados por descumprimento de ordem de decreto estadual e municipal.
Há risco de prisão, a depender da gravidade da situação.

O decreto do Prefeito vale até 30 de junho, quando a cidade reavaliará a questão.
O governador de São Paulo João Doria, prorrogou na quarta-feira, a quarentena no estado.
Ela deve seguir pelo menos até 28 de junho.