Com mais 849 mortes, Brasil rompe a barreira de 37,3 mil óbitos por Covid-19

Por Guilherme Kalel e Lívia Tomazelli

Informe Franca – 08/06/2020 | 20h12

O Brasil contabilizou mais 849 mortes por Covid-19, segundo levantamentos da Imprensa feito com dados das Secretarias Estaduais de Saúde, nesta segunda-feira, 8.
Diversos veículos de comunicação tem se unido, para fazer o levantamento com base nos dados divulgados pelas Pastas estaduais de saúde,
por conta de supressão do governo federal nos números.

Desde o final de semana, o Brasil tem mudado a metodologia de divulgação, por ordens do Presidente Jair Bolsonaro.
Que exigiu que o Ministério da Saúde, divulgasse um número de menos de 1000 mortes por dia no portal oficial de dados.
Os números são divulgados sempre tarde da noite, para evitar a exposição nos jornais.
O que fez a imprensa passar a coletar os dados, diretamente nos estados e não mais, esperar divulgações da União.

Nesta segunda-feira, com as 849 mortes amais somadas, o país registrou 37312 pessoas mortas por Coronavírus.
O número de casos também aumentou, chegando a 710887 infectados.

São Paulo registra a maior taxa de infecção e morte, seguido por Rio de Janeiro e Ceará.
O aumento de casos no país ocorre num momento em que estados e municípios flexibilizam as regras de quarentena.
O que está obrigando alguns locais a paralizar liberações ou ainda, voltar atrás em decisões já adotadas.

Para o governo federal, os números estão longe da realidade.
Contradizendo pesquisas e análises, o sábio Presidente Jair Bolsonaro, determinou que o total de mortes seja recontado.
O Presidente alega que a doença, não tão grave como apontada por dados e estatísticas, teve números maquiados para parecer pior do que ela é.
Na realidade partes da fala de Bolsonaro faz sentido.
O Brasil tem dados inverídicos no tocante ao Coronavírus, pela falta de testes nas pessoas que tem sintomas da doença.
Se todos os testes prometidos pelo Ministério da Saúde em abril, tivessem sido entregues e feitos, o país teria uma leva de casos muito maior.

Hoje, o país é o
2º no mundo em número de infectados e 4º no total de casos.