Opinião – Não justifica

Por Guilherme Kalel

Informe Franca – 31/05/2020 | 8h

Não justifica,
Desejarmos mal para alguém, porque nos desejou.
Julgarmos uma pessoa por sua cor,
Pelo jeito com que se veste,
se mora na cidade ou no campo,
em uma cobertura no edifício mais chique, ou em uma casinha simples feita de madeira.

Não justifica,
nem compete a nós, julgarmos uma pessoa pelo jeito com que ela fala,
se ela tem ou não mais estudos que um ou outro,
se ela é uma pessoa culta,
se gosta de Funk ou de Rape.

Não justifica,
querermos matar uma pessoa porque pensa diferente de nós,
porque apoia este ou aquele governo ou político,
as preferências devem ser individuais.

Não justifica,
uma pessoa asfixiar a outra até a morte, por causa da cor de sua pele,
um Presidente de uma nação censurar as mídias sociais porque não o permitem postar o que ele quer,
ou outro Presidente e seus apoiadores falarem o tempo todo em regimes autoritários que nos remetem a um tempo sombrio, que muitos querem esquecer.

Não justifica,
usarem pretextos dos mais escusos para acabar ou violar a verdadeira liberdade de expressão,
a liberdade de imprensa, o direito das pessoas em se manifestar,
de forma pacífica e ordeira.

Não justifica também,
por raiva os outros quererem quebrar tudo, tomar as ruas destruindo geral,
porque tem que haver equilíbrio.

Fato é, que estamos em um mundo hoje onde quase nada se justifica,
mas que mesmo assim todas essas coisas tem acontecido.
E numa maneira muito maior do que gostaríamos ou que pensávamos.
Crianças são baleadas nas costas,
homens negros são asfixiados por policiais brancos e a população se insurge contra abusos,
Mídias são reguladas em países que defendem na teoria a liberdade como preceito fundamental,
e ninguém ganha com isso.

Refletimos nós sobre esses acontecimentos e sobre o que, estamos deixando com que nosso mundo se transforme.
Não temos que pegar em armas,
não temos que sair as ruas e destruir geral.
Só temos de encontrar nossa maneira de sermos ouvidos, para falar contra tudo de errado que aí está.
Este é o nosso papel e por isso e para isso, estamos e sempre estaremos aqui.

Ainda que gabinetes do ódio nos ataquem,
destruam nossos arquivos de computador,
ainda que nos ameacem de morte.
Fato é que permanecemos, fazendo aquilo que nos disponibilizamos a fazer.
Pois não justifica, deixarmos as pessoas sem informação de verdade,
num mundo atualmente tão sombrio e insano, a beira de um colapso social, psicológico e moral.