Internacional – Trump deve assinar hoje ordem para regular mídias sociais

Por Piter Seringer

Informe Franca – 28/05/2020 | 12h48

O Presidente dos Estados Unidos Donald Trump, deve assinar nesta quinta-feira, 28, uma ordem de regulação as Mídias sociais.
O recurso é uma resposta, a conteúdo do Presidente que foi censurado pelo Twitter uma das mais influentes plataformas midiásticas do mundo.

Por anos é importante salientar, Donald Trump fez postagens no Twitter,
inclusive muitas delas controvérsias.
Mas na terça-feira, 26, o Twitter decidiu impor certas restrições a Trump, a exemplo do que faz com qualquer usuário do planeta da plataforma.

Por isso, postagens duvidosas e apontadas como Fake News, começaram a ser sinalizadas no Twitter do Presidente.
Isso, irritou Trump e seus apoiadores que começaram a disparar críticas a rede social.
O Facebook, entrou também na mira das autoridades.
Apesar do CEO da rede social dizer em público que as Mídias sociais não podem se achar no direito de ser as donas da verdade,
o fato concreto em tudo isso é que por anos, essas plataformas tem sido grandes influenciadoras de opiniões.

Por isso, o Presidente Donald Trump quer medidas que regulem o funcionamento dessas redes, mesmo que para isso tenha que mexer em leis norte-americanas.
Partes dessas leis, tratam da questão de liberdade de expressão, amplamente difundida nos EUA.
Mas, muitos juristas acham que assim como pessoas, as empresas de tecnologia devem ser responsabilizadas pelo conteúdo veiculado em suas páginas, o que é contraditório.
As empresas defendem o direito de que seus usuários, postem o que quiser nas redes.
Trump e seus apoiadores, que esses posts passem a ser regulados.
Quando houver classificação de Fake, notícias falsas, não apenas o divulgador seria responsabilizado mas a rede social onde houve a publicação, teria de responder a processos.

A medida pode até vetar, o funcionamento de algumas redes sociais no país, e abrir margem para que outros países façam isso em todo o mundo.
Uma ameaça ao império construído pela rede de tecnologia social, ao longo especialmente dos últimos 15 anos.

Nas medidas de Trump, as plataformas mais afetadas seriam Facebook, Twitter e Youtube.
Este último que pertence a gigante das buscas Google.
Um duro golpe nas Mídias sociais que teriam de repensar seu jeito de liberar publicações.
Ao mesmo tempo, fonte de questionamentos sobre até quando isso, influenciaria o direito de liberdade de se expressar das pessoas.

Outra coisa importante a se salientar, é que a regulação agora pretendida por Trump,
poderia fazer com que os Estados Unidos tomassem medidas como anteriormente criticadas por serem adotadas em outras nações,
como na China ou na Coreia do Norte por exemplo.
Nesses países, Twitter e Facebook são proibidos, e nem um produto do Google tem licença para operar.