Alerj pode abrir pedido de Impeachment contra Witzel

Por Mariana Novacki

Informe Franca – 28/05/2020 | 7h

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, parece ter que se defender não apenas no judiciário de acusações por corrupção.
Pelo menos dois pedidos de Impeachment foram apresentados contra o mandatário, na Assembleia Legislativa do Rio nesta quarta-feira, 27,
um dia depois que uma operação da Polícia Federal, teve como alvo o governador do estado.

Witzel é acusado, de dar anuência para que uma base de corrupção se instalasse em seu governo, na área da saúde.
A acusação é que milhões foram desviados, para a construção de hospitais de campanha que ainda não saíram do papel.
Para serem construídos esses hospitais ficariam a cargo de Organizações Sociais contratadas pelo Estado.
Organizações, que superfaturaram as obras em momento de pandemia, crime grave e até hediondo.

O Presidente da Alerj, que é deputado pelo PT, disse que a Assembleia foi complacente com o governador em muitos momentos, mas reiterou que tudo existe um limite.
Outros três pedidos de Impeachment contra Witzel foram apresentados na Alerj, desde que o governador tomou posse.
Mas os outros foram arquivados porque tinham mais ilações do que fatos concretos.
Agora, o Presidente da casa aponta, que os fatos falam por si, e que precisam ser apurados.

Nos bastidores as movimentações são para que, comissões já sejam preparadas para julgar eventualmente o governador.
O processo, entre a abertura e julgamento final, deve ter no mínimo 20 dias.
Os pedidos ainda não foram analisados concretamente pelo Presidente da Casa, que é quem decide se arquiva ou os aceita.
Se ele aceitar, Witzel teria que responder a um processo na casa, e poderia perder o mandato se fosse condenado.

O governador tem reiterado que os gestos da operação de 26 de maio, são para derruba-lo do poder, e que não é corrupto.
Ele acusou o Presidente Jair Bolsonaro, de interferir na PF para gerar essa operação que chamou de perseguição política.

Contudo, o governador não respondeu aos pedidos de esclarecimentos ao Informe Franca, para tratar do possível aceite da Assembleia do Rio de Janeiro de um processo de Impeachment.