Bolsonaro chama Ministros para discutir reação a ordens do STF

Por Gabrielle Straus

Informe Franca – 27/05/2020 | 17h32

O Presidente Jair Bolsonaro convocou agora a tarde, seus Ministros de Estado para uma reunião emergencial no Palácio do Planalto.
Em Pauta, está a discussão de uma reação aos recentes episódios envolvendo o governo e Ministros do Supremo Tribunal Federal.
Bolsonaro quer uma reação firme dos Ministros contra o STF, e contra alguns indiv´duos da Corte.
Para isso, deve levar na Pauta algumas medidas que estão sendo estudadas pelo Gabinete de Segurança Institucional.
O Presidente deve inicialmente, orientar que o Ministro da Educação Abraham Weintraub, não preste depoimento a Polícia Federal.
O Ministro do STF Alexandre de Moraes, determinou que ele fale sobre o vídeo gravado em 22 de abril,
onde Weintraub aparece dizendo que por ele, botava todos os vagabundos na cadeia, começando pelo STF.
O vídeo foi revelado em 22 de maio, na investigação que apura se houve interferência de Jair Bolsonaro para beneficiar sua família e aliados, na Polícia Federal.
Acusação feita pelo ex-ministro Sérgio Moro, ao deixar o governo.

O Presidente deve ouvir sua área jurídica, antes de qualquer decisão sobre reações ao STF.
Mesmo assim, pretende disparar ações efetivas e políticas na classe dos Ministros.
A maioria do STF, vem agindo em desacordo com a cartilha que rege Bolsonaro.
E impõe derrotas sucessivas ao Presidente, o que tem o irritado.
Uma das linhas de ataques, é exatamente insuflar as pessoas contra o Tribunal e seus Ministros.

Essa prática, foi denominada como criminosa por Alexandre de Moraes, no inquérito das Fake News.
Que hoje, 27 de maio, teve operação deflagrada por ordem do Supremo.
Pessoas ligadas a Bolsonaro, como parlamentares e empresários, foram obrigados a receber a PF e entregar celulares, computadores e arquivos para perícia.
O Ministro do Supremo, ainda determinou que alguns empresários tenham contas bancárias vasculhadas, de julho de 2018 a abril de 2020.
O período antecede as eleições presidenciais que Bolsonaro se sagrou vencedor, e pode por mais lenha na fogueira que está acesa em Brasília.

A suspeita é que, desde aquela época um grupo de empresários se organizou para montar uma equipe, que disseminasse informações falsas na internet.
Foram alvo, pessoas que eram contrárias a Bolsonaro, entre políticos, Ministros e Jornalistas.